sexta-feira, 30 de setembro de 2016

BEDS - Post nº 30 - Resenha #32 - Por Lugares Incríveis (Setembro Amarelo)

    Oie! Espero que esteja tudo bem com todos vocês!
E hoje é final do mês, final da campanha do Setembro Amarelo, mas, não é por isso que abandonaremos a causa, não é? E também hoje é o último dia do BEDS! =( 
    E pra encerrar o mês, resolvi encerrar falando do livro que até o momento, foi o melhor que li no ano. Por Lugares Incríveis conquistou meu coração. Apesar de ser um livro com o tema de suicídio - novamente - posso dizer que é uma história pra levarmos pra vida.

Bora pra resenha?


    Em primeiro lugar: eu amei essa capa! Quando eu tinha meus cinco anos eu ganhei um joguinho desse e brinquei por muitos anos com as pecinhas, construindo torres, escolas, casas e cidades, e essa capa me trouxe a minha infância de volta. Infelizmente eu não tenho esse livro, e não poderei ficar babando pela capa dele forever, nem ficar relendo as partes que mais gostei. Adoraria tê-lo na estante, se alguém quiser me presentar, só avisar que eu mando o endereço, hahaha... 


    Theodore Finch é um garoto de dezessete anos, esquisito, depressivo e suicida. Ele acorda pensando se aquele é um bom dia para morrer. No primeiro dia após o natal, ele sobe na torre do sino do colégio disposto a se jogar de lá, apesar de ao mesmo tempo pensar na sujeira que faria quando o resgate fosse recolher seus restos mortais. Quando nota que alguém está olhando para o outro lado da torre, percebe "Violet alguma coisa" estática olhando para baixo. Ele então se aproxima dela e grita: "Não tente me salvar, sou um caso perdido" para tirar o foco das pessoas lá embaixo, e enquanto se aproxima, fala pra ela olhar pra ele e a orienta a passar pelo muro e sair de lá. Quando ela está a salvo, ele tenta se focar em sua primeira opção, e de repente, escuta a voz de Violet, dando exatamente as mesmas orientações que ele tinha lhe falado minutos atrás. Ele então sente que passou o momento, e acaba saindo de lá. E, como é um cavalheiro, deixa que todos acreditem que Violet Markey - agora ele já sabe - realmente o salvou.


    Há nove meses, Violet passou por um duro golpe da vida: sofreu um acidente com sua irmã um ano mais velha, Eleanor ceifando a vida da jovem, mas poupando a irmã sem nenhuma sequela. V já não aguenta a falta que sua irmã lhe faz, e meio que por impulso vai até a torre do colégio, só não esperava entrar em pânico. Se Finch não tivesse a salvado, ela teria morrido.
    
    Após esse acontecimento, Finch se sente meio que responsável por Violet, e sente a necessidade de estar sempre por perto. E Violet faz algo que o surpreende. Ela sorri. Sorri verdadeiramente, e Finch percebe que esse sorriso é verdadeiro, e nesse simples gesto, ele sente que pode se aproximar mais da moça. 
    A única aula que fazem juntos é geografia, e o professor sugere que façam um trabalho em dupla explorando lugares pelos quais eles nunca estiveram, e, Finch imediatamente chama V para fazer o trabalho com ele. Detalhe: desde a morte de Eleanor, ela nunca mais entrou em um carro, nunca mais escreveu e nunca mais riu de verdade. Finch e V começam pelo ponto mais alto de Indiana: um monte de 383 metros. É nesse monte que tudo começa a mudar, para ambos. Ao chegarem lá em cima, V acha tudo feio, mas, nota que Finch olha tudo como se estivesse olhando para Oz, e ela então tenta ver com os olhos dele, e no momento em que ele segura sua mão, ela sente correntes elétricas por todo o corpo. Só lá em cima, de mãos dadas com aquele garoto, ela nota como ele é bonito, como seus olhos são intensamente azuis e como ele é atraente.




    Com o mapa de Indiana em mãos, eles circulam os lugares prováveis para visitar, porém, V o lembra que falta apenas mais um, mas, ela se sentia tão a vontade com ele, que quando ele a chamava para conhecer um lugar novo, ela não hesitava. Voltou a andar de carro, voltou a rir, voltou a dirigir e voltou a escrever, coisas que ela tinha deixado de lado após a morte de sua irmã. A atração entre ambos era grande, mas, eles tentavam disfarçar o tempo todo. O ex-namorado de Violet, Ryan, estava tentando reconquistá-la, e nos poucos momentos em que estavam juntos, a loura se pegava pensando em Finch, em seus olhos azuis, braços longos e cabelos bagunçados. Pegar na mão já era algo corriqueiro para ambos, e V sentia suas mãos frias sem as dele, fora que a corrente elétrica ficava cada vez mais forte.


   Apesar de ser um garoto encrenqueiro na escola, Finch sofria muito. Além de ser vítima de bullying - que os amigos de Violet cometiam - ele tinha uma péssima relação com o pai e sua mãe e suas irmãs não se importavam muito com ele. Quem lhe dava um pouco mais de atenção era o orientador Embry (ou Embrião, como Finch gostava de chamar em segredo). Ele tinha no corpo cicatrizes de maus tratos sofridos pelo pai. Em determinado ponto do livro ele fala que seu pai batia em sua mãe e nele também, chegando ao ponto de quebrar o queixo da mãe uma vez, e fazer quase o mesmo com ele. Conversando com sua irmã mais velha, ele lhe disse que sofria de dores de cabeça, e ela lhe disse para agradecer ao pai, pois ele socava a cabeça do menino na parede quando ele era menor. Agora o pai estava casado com outra com um filho que podia ou não ser dele, ninguém sabia ao certo. Finch se sentia cada vez mais triste, pois via como o pai tratava o enteado - ou filho - e a nova esposa,e o descaso que tratava seus três filhos nos jantares obrigatórios aos domingos. E apesar de toda essa dor, tinha Violet ali, olhando para ele e gostando dele da maneira como ele era. Simples, engraçado, mulambento... V deixou aos poucos deixou de andar com seus amigos para andar com Brenda e Charlie, os únicos amigos de Finch. A amizade entre ambos cresce, o interesse também, as correntes elétricas são maiores, e num dado momento, ambos se veem completamente apaixonados um pelo outro. 


    Eles procuram viver intensamente cada dia, como se só houvesse o agora, e Finch se sente amado pela primeira vez em sua vida. Finalmente, alguém olha pra ele, se preocupa com ele... Mas, ele está quebrado, e, apesar de amar aquela garota com todas as forças, ele lhe diz que não pode prometer não machucá-la pelo fato de estar quebrado em pedacinhos. V também está quebrada, então, eles meio que entram em um acordo de um ajudar o outro.  Apesar de estar feliz, Finch ainda sofre com seus pensamentos suicidas, ainda sofre com o bullying na escola, mas, tenta com todas as forças mostrar para Violet, que vale a pena viver. Apesar de ele mostrar toda a intensidade da vida pra ela, ele não acredita que possa ver a vida da mesma maneira como quer que ela veja. Ele quer que ela viva, mas, não tem certeza que pode viver. Mas, ele quer tentar, porque quer amar e ser amado. Já estou quase chorando...


    Uma das palavras que V usa para descrever um dos momentos deles é "adorável", e ambos começam a usar essa palavra com mais frequência para descrever certas coisas. E eu usaria essa palavra para descrever tudo nesse livro: adorável. É um livro forte, muito forte mesmo, me fez rir e me fez chorar. Nos últimos sete capítulos eu chorei compulsivamente, praticamente sem intervalo. É um livro lindo, com um final arrasador. 


    Finch mostra para V que viver vale a pena, mas, paga um preço alto, muito alto. Ele lhe traz a alegria de volta, lhe incentiva a voltar a escrever, apresenta Brenda para ela - que se torna sua grande amiga - ajuda ela a colocar pra fora toda a raiva que ela sente por Eleanor ter morrido, enfim, ele lhe ensina a amar, e o melhor, faz com que ela se sinta amada.  Em determinado ponto do livro, V encontra uma carta que Finch escreveu para ela. Violet fica receosa com o que pode ter lá, tem medo de suas palavras serem cruéis, mas, ao ler ela chora e se emociona muito - e o leitor também. Ou só eu pelo fato de eu ser uma mole, sei lá! Ela fica temerosa de ler que ela não é suficiente para ele, que ele não a amava de verdade, que ele se sentia traído por ela (pois ela contou para os pais algo que pediu para manter entre eles), enfim, ela está completamente insegura. Mas, o que ela encontra são doces palavras, palavras que ninguém jamais imaginaria vir de Theodore Finch, mas que V tinha certeza que nada tão doce poderia vir de outra pessoa que não fosse seu  Finch:  

"É adorável ser adorado por aquela a quem adoro!"

    Só essa frase é o suficiente para meus olhos marejarem novamente. Gente, já escrevi muito, vou parar por aqui, para evitar que eu lance grandes spoilers. Tudo o que falei aqui não é um terço de tudo o que se passa, pode confiar em mim, vocês sabem que quando conto coisas importantes, eu deixo um aviso de alerta bem grande, rs! Por Lugares Incríveis é um livro adorável, V é adorável, Finch é adorável, e o casal é adorável juntos. A cumplicidade, o amor, o carinho e a amizade de ambos faz com que a gente volte a acreditar nas pequenas coisas. V admirava a capacidade de Finch olhar para as coisas com olhos mágicos, apesar de ele ser uma pessoa tão problemática, tão traumatizada, Finch procurava se agarrar a vida com unhas e dentes, tentava viver um dia de cada vez, tentava viver por ela, por sua adorada namorada.


    O enredo é sobre superação. V precisa superar a morte da irmã e Finch precisa superar seus traumas. O enredo é sobre amizade. Eles descobrem que um é realmente o melhor amigo do outro por poderem ser eles mesmos um com o outro, ao mesmo tempo que V nota o quão superficial são seus próprios amigos e o quão especiais são os dois únicos amigos de seu namorado. O enredo é sobre atenção: a falta de atenção da família de Finch o leva a ser uma pessoa extrema, o excesso de atenção dos pais de V a leva a ser uma pessoa programada, e a atenção que um dá ao outro, mostra o caminho para o amor. O enredo é sobre amor: o amor de V tinha por sua irmã, o amor que os pais dela tinham por ela, o amor que Brenda tem por Finch, e claro, o amor que Finch e V desenvolvem. Ele a chama de Ultravioleta Markante, e ela apenas o chama de Finch. Uma vez ela o chama de Theo, que era como sua família o chamava, mas, Finch soa mais atraente.  

     Em contrapartida, é um enredo forte, pesado e obscuro, que nos coloca para pensar. Durante todo o livro, a autora fala sobre números de pessoas que cometem suicídio por determinadas maneiras: afogamento, enforcamento, overdose por remédios, inalando gás do carro... Os números são realmente assustadores. E ao final, ela nos conta que na adolescência, um garoto que ela amava se suicidou, então, ela foi uma "sobrevivente pós-suicídio" de alguém que ela amava, e usando essas lembranças e emoções, ela nos emociona também. E deixa endereços eletrônicos de sites que auxiliam pessoas que estejam pensando em algo assim, ou pessoas que fracassaram na tentativa - graças a Deus -  a superar seus traumas. 


    Babei nessa capa, gente. A capa brasileira é linda, mas, essa americana faz muito sentido pra quem leu. Os post-its representam a maneira como ambos organizam suas ideias. O pássaro representa Theodore Finch, pois há uma qualidade de pássaro chamada  Star Finch e a flor é uma violeta representando o nome de Violet. E é bonitinho também que lá no post-it do lado da palavra "All", está escrito: "The story of a boy called Finch and a girl named Violet" (A estória de um garoto chamado Finch e uma garota de nome Violet). 

    Suicídio é algo sério, gente. A cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio. Muitos são por besteira mesmo, como o caso de uma moça que se enforcou após o término do namoro e postou no Facebook um adeus. Ou como aqueles dois casos no início do mês de pais que mataram seus filhos e a si próprios porque não queriam perder a estabilidade financeira que tinham... Isso é burrice! Tem também casos de pessoas que não executam suas faculdades mentais que acabam passando por isso. Mas, tem também aquelas pessoas infelizes que acham que a única opção é o suicídio. Caso tenha alguém lendo esse post e que esteja com esse tipo de pensamento, eu te digo: não é opção. Nunca é opção! Levante a cabeça e enfrente, lute, não se acovarde. Gente, se eu fosse contar tudo o que já passei, era pra eu ser uma pessoa no mínimo com um quadro de depressão fortíssima. Mas, eu me obriguei a ser maior que a doença, e, graças a Deus, venci. Estressada, com certeza, mas, depressiva, não! Me recusei! Lutei, chorei, mas, me recusei. Sabia que se deixasse me afundar, pensamentos ruins viriam, pensamentos suicidas viriam, e a única coisa suicida que eu gosto é o Esquadrão Suicida, hahaha... Lute por sua vida, se agarre com unhas e dentes, não deixe a escuridão te levar. Pense em quem você deixaria pra trás... Será que valeria a pena deixar sua família ou seu amor sofrer tanto? Me desculpe falar assim, mas...




    Espero de coração que essa campanha pesada que diversos blogueiros investiram em seus blogs frutifique... Queria poder fazer um pouco mais, mas, se em cada post onde eu falei um pouquinho sobre isso deu pra evitar que alguém cometesse uma loucura dessas, já valeu a pena!

   E hoje foi o último dia do BEDS - Blog Every day in September - e quero agradecer a todos que estiveram aqui todos os dias comigo. A professorinha aqui cortou um dobrado para elaborar e corrigir provas, driblar o cansaço e ainda assim arrumar assunto todo dia. Não disse que falo demais? Olha a prova nesse mês, hahaha! Quero agradecer aos seguidores novos e antigos, agradecer a vocês meninas - Tay, Luli, Hellen, Tati, Babi - que estão aqui praticamente todos os dias me deixando recadinhos lindos que eu amo responder, obrigada de verdade, vocês já fazem parte da minha vida! Prometo não me ausentar por tanto tempo como andei fazendo, vou marcar os dias de fazer post e em breve passar para vocês!

    Meus amores, perdoem o post enorme - Luli, não falei que entendo essa incapacidade de síntese? Hahahah - mas, já estou sentindo falta de vocês! Vou ficando por aqui, um ótimo sábado na companhia do Eterno!

Beijoooo! =)



quinta-feira, 29 de setembro de 2016

BEDS - Post nº 29 - TAG: 140 Caracteres

    Oi pessoas linda, tudo bom? Espero que sim!
E o mês está acabando, Setembro Amarelo está acabando - mas não é por isso que vamos deixar de apoiar a causa - , o BEDS está acabando, aaaaaaahhhhh.... Juro que eu achei que não fosse dar conta de escrever todos os dias, mas, confesso que gostei bastante. Tudo bem que me esqueci algumas vezes, e morrendo de sono, mesmo assim, ligava meu companheirinho aqui e fazia a postagem. 

    Mas, hoje é dia de TAG, e fui indicada pela Tati do blog Tati C., aquele espaço que gosto muito, e vivo sempre lá! Se vocês ainda não conhecem, não deixem de passar lá! ^.~




    A TAG/desafio dos 140 Caracteres, consiste em resumir alguns livros em 140 caracteres como se fosse no Twitter. Como eu sou véia e antissocial, não tenho Twitter, hahahaha, então, pra mim vai ser mais difícil ainda. E principalmente porque eu escrevo muito e não abrevio nada... 
Ah! E pode escolher quantos livros quiser, tá? Vou tentar...

Shada - Gareth Roberts (A Aventura Perdida do Douglas Adams)




    Skagra, um cara muito mal, está atrás de um jeito de abrir a prisão mais segura de todo o universo, Shada, para libertar um grande vilão.



Um Amor Pra Recordar - Nicholas Sparks



    Jamie é a filha do reverendo, Landon o bad boy da cidade de Beaufort. Uma bagunça, um castigo, uma amizade, um amor, um ano inesquecível.



Percy Jackson & Os Olimpiano - O Último Olimpiano


    Percy, Annabeth, Thalia, Grover e as Caçadoras, juntamente com os outros campistas gregos se reúnem em uma última batalha contra Cronos

*********************************************************************************

(Peraê, gente, pausa: O Doctor acabou de entrar aqui em casa pela janela com um preá imenso na boca! Bem que meu sobrinho disse que quando um gato pega um bicho, eles trazem de "presente" para os seus humanos, rs! Precisei tirar o bicho de dentro de casa, mas, ele já está comendo a raçãozinha dele. Pensa no susto quando vi aquele bichão na boca dele, rs!) Voltando...

*********************************************************************************




Um Homem de Sorte - Nicholas Sparks



    Logan encontrou uma fotografia em um campo de batalha, e desde que começou a andar com aquela foto, passou a se considerar um homem de sorte



Heróis do Olimpo - O Sangue do Olimpo - Rick Riordan




    Semideuses gregos e romanos se juntam para derrotar Gaia que está se levantando e causando a destruição de tudo o que eles conhecem. Mó ação


Viagem ao Centro da Terra - Julio Verne



    Professor Lidenbrock e seu sobrinho Axel viajam até a Islândia para darem início na maior aventura de suas vidas. Tudo de incrível acontece 


A Primeira Vista - Nicholas Sparks 




    Jeremy sabia que: não se mudaria de NY, jamais amaria e não teria filhos. Até conhecer Lexie no litoral, se apaixonar e ela engravidar dele.


As Crônicas de Nárnia: A Última Batalha - C.S. Lewis



    Nárnia está devastada, a palavra Execrável foi falada, o mundo está acabando. Os antigos Reis e Rainhas precisam retornar para salvar Nárnia


PS Eu Te Amo - Cecelia Ahern




    Gerry morre e durante um ano Holly recebe cartas dele para que ela aprenda a sobreviver sem seu esposo. Drama, amor, amizade e muita lágrima


A Esperança - Suzanne Collins



    Katniss, é oTordo na revolução. Defendendo sua família entra em guerra contra o país, mas Snow usa tudo pra destruí-la, inclusive Peeta. Amo

*********************************************************************************

    Gente, foi muito difícil fazer isso, hahaha! E foi mais difícil ainda não falar sobre Orgulho e Preconceito, mas, não teve jeito, o Jogos entraram na lista, hahaha....

     Pra responder esse desafio, indico:

Hellen Barros - Apenas Giz
Tay -  Indicar Livros
Mônica - Leitora Cretina



    Depois me marquem pra eu conferir, ok?
Beijoooo! ^.~

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

BEDS - Post nº 28 - Livros depressivos - ótimos, mas, depressivos!

    Boa noite, corações, tudo bem?
Eu estou ótima, apesar de estar destruída! Eu comecei ler "Por Lugares Incríveis" na segunda e terminei de ler hoje, e estou destruída. Terminei de ler por volta das seis e meia da tarde. São oito e meia ainda estou com os olhos inchados e pesados. Não vou conseguir fazer resenha dele hoje, ainda não estou preparada para isso, rs!

   Então, decidi escrever sobre os cinco livros depressivos - ótimos, mas, depressivos - que eu gostei muito de ler. Bora conhecê-los?


5 - O Príncipe dos Lugares Perdidos - Kathy Hepinstall



    Ganhei de um de meus irmãos no meu niver de dezoito anos, demorei anos pra ler. Até que um amigo meu foi em casa e leu em dois dias e me disse que era ótimo. Aí eu li. Fiquei chocada com o final dele, bateu uma depressãozinha... pequena, mas, bateu, rs! E a protagonista era "locona"... Hahahaha! Sinopse: Uma mãe foge com seu pequeno filho de seis anos para uma caverna após acontecer um atentado na escola do menino, matando um coleguinha. Depois meses no meio do nada, um estranho aparece, e... Tcham, tcham, tcham, tcham... Hahaha!


4- A Última Música  - Nicholas Sparks


    Com certeza, se não o mais queridinho da minha estante, um deles. Já falei várias vezes o carinho que tenho por esse livro. Ganhei de uma de minhas irmãs no natal de 2010, entrei numa depressão profunda, chorei cântaros! Sinopse: Ronnie vai passar o verão com o pai no litoral. Apesar de não se darem bem, aos poucos vão se aproximando, e simultaneamente, ela se apaixona... Mas, nem tudo são flores!


3- Os 13 Porquês - Jay Asher



    Eu babo por essa capa! Uma pena que eu não tenho o livro físico, li no celular, se eu tivesse, com certeza, seria a cereja da minha banana - split, rs!. Chorei largado! Me trouxe para uma realidade existente, mas, desconhecida, ou melhor, ignorada! Sinopse: Um dia ao chegar da escola, Clay recebe um pacote com sete fitas cassete. Ao colocar para ouvir a primeira, escuta a voz de Hannah, a moça por quem ele era apaixonado e que se suicidou há duas semanas. Hannah revela que todos os que receberem suas fitas, de alguma forma a incentivaram a tomar a decisão pelo suicídio e os motivos. Clay não sabia o porquê ele tinha recebido aquilo, ele precisaria ouvir para saber mais.  Resenha.


2 - O Melhor de Mim - Nicholas Sparks


    Em minha opinião, o melhor livro de Sparks. Não é um romance água com açúcar, não. É uma história adulta, forte, cheia de encontros e desencontros. Clichê no começo - a menina rica se apaixona pelo cara pobre, os pais não aceitam... Aquela mesma fórmula que dá certo. Mas, as coisas mudam de figura com uma tragédia, e vinte e um anos depois, eles se reencontram, e... tcham-tcham-tcham-tcham.... Só lendo pra saber, haha. Chorei, chorei, chorei muito! Sinopse: Dawson Cole e Amanda Collier se amam mais que tudo. O pai e os irmãos dele eram bandidos assumidos e o odiavam, e tudo o que o jovem queria era sair daquela cidade, se casar com Amanda e ser feliz, mas, uma tragédia os separa. Anos mais tarde, após um encontro inesperado, os antigos namorados se reencontram, e muita coisa acontece...


 1 - Por Lugares Incríveis - Jennifer Niven


    Como eu disse ali em cima: li há poucas horas, e fiquei destruída! Ainda estou com os olhos inchados e ardidos. Sinopse: Theodore Finch - considerado Aberração -  está na torre do colégio prestes a cometer suicídio, quando olha para o lado e vê Violet Markey- a popular -  prestes a fazer o mesmo. Ele então dá um jeito de tirá-la de lá, fazendo com que todos acreditem que ela o salvou. Sentindo-se de certa forma responsável por ela, uma amizade no mínimo estranha se forma. Enquanto Finch e V. se aproximam cada vez mais, eles visitam juntos lugares fantásticos no estado onde moram para um trabalho de geografia. Aí... Já me deu vontade de chorar de novo! Entrou pra lista de um dos melhores do ano.


BÔNUS: Dançando Sobre Cacos de Vidro - Ka Hancock



    Já falei que esse foi um dos melhores livros que li esse ano. E um dos piores. Ri e chorei. Me emocionei muito lendo esse livro. Sem dúvida, um dos melhores que li no ano! Sinopse: Lucy vem de uma família de mulheres com câncer, ela mesma já teve e venceu. Michael assim como sua mãe, sofre de um grave transtorno bipolar, que às vezes o leva a internação na ala psiquiátrica que pode durar meses. Eles se amavam e se casaram. Optaram por nunca ter filhos, para não passarem sua herança genética para os filhos. Onze anos de um casamento feliz se passam, e Lucy se vê grávida. E agora? Tcham, tcham, tcham, tcham...

    Esse post me fez lembrar aquela música do Fábio Jr, "Choro", que a primeira frase é: "Tem horas que bate uma tristeza tão grande...." É o meu caso. E agora piorou tudo, porque enquanto escrevo esse parágrafo coloquei a tal música pra ouvir, e tá me dando "uma tristeza tão grande", hahaha... 

    Então é isso, amores! Buenas, tchê!

terça-feira, 27 de setembro de 2016

BEDS - Post nº 27 - Viciada em livros, eu?!?

    Buenas noches!
Tudo bem? Espero que sim! Estava aqui pensando na possibilidade de eu ser uma viciada em livros. O que vocês acham? Vamos analisar:

  • Você vive admirando a sua estante - confere;
  • Ama reler os trechos favoritos de seus livros favoritos - confere;
  • Suspira com bibliotecas maravilhosas - confere;
  • Fica agoniada de emprestar seus livros - confere;
  • Sofre esperando lançamentos - confere.





   Vixiiii... Sou uma viciada! Ahahahahah!


Buenas, tchê!

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

BEDS - Post nº 26 - TAG - Os Quatro Elementos

    Boa noite, queridos, tudo bem? Espero que sim!
Eu sei que hoje não é dia de TAG, mas, segunda-feira é cruel, e como eu simplesmente me esqueci (sorry, é a velhice, hahaha) de fazer post hoje, farei essa TAG que é rapidinha! Encontrei no blog Reflexão Literária espaço muito legal da Vivian que encontrou no blog Garota It. Vou falar apenas dos que tenho na minha estante, tá?

    Bora lá?



1- Água: encontrar um livro com o elemento água na capa


Convergente - Veronica Roth.

2 - Encontrar um livro com a cor azul na capa:


Doze Doutores, Doze Histórias, escrito por doze autores.

3 - Fogo: Encontrar um livro com o elemento fogo na capa


Divergente, Veronica Roth

4 - Encontrar um livro com a cor vermelha na capa


Percy Jackson & Os Olimpianos - A Batalha do Labirinto - Rick Riordan

5 - Terra: Encontrar um livro com algo relacionado à terra na capa


Seu Nome é Jesus - Max Lucado (babo nessa capa!)

6 -  Encontrar um livro com a capa verde


Querido Diário Otário, Tem um Fantasma na Minha Calça - Jim Benton

7 - Ar: Encontrar um livro com o elemento ar na capa


A Esperança - Suzanne Collins. O tordo está voando, certo? Se ele está voando é por que tem ar, rs!

8 - Encontrar um livro com a cor branca na capa


A Primeira Vista - Nicholas Sparks

BÔNUS: Encontrar um livro com as cores azul, vermelha, verde e branca na capa


Acredite Se Quiser - Laé de Souza. Fantasia do Superman azul e vermelha, bermuda do menino verde e a neve branca.

 Não vou indicar ninguém para responder a essa TAG, fiquem a vontade e me marquem para eu conferir as respostas depois! 





domingo, 25 de setembro de 2016

BEDS - Post nº 25 - Resenha #31 - A Lista Negra (Setembro Amarelo)

    Oláááá, leitores, tudo de boa?
Aqui tá um friozinho...
E hoje estou passando para fazer mais uma resenha - como prometido ontem - e, escolhi o segundo livro mais votado da enquete quando pedi para que escolhessem a próxima resenha. E como estamos nos dedicando ao combate ao suicídio com o Setembro Amarelo, nada melhor do que A Lista Negra, de Jennifer Brown. 


   No Clube de Jane Austen, um clube de leitura do qual faço parte, não lemos apenas Jane Austen, rs, e em agosto nossa leitura foi essa obra. Confesso que não tive vontade de ler, mas, quando comecei não consegui parar. Fizemos a discussão do livro e o assunto foi longe! Bora pra resenha, então?

    Valerie passou por maus bocados nos últimos meses. Ela tomou um tiro na perna de seu namorado Nick durante o período em que estavam na escola, e agora ela precisa retornar a sua vida. Okok, pra todo mundo entender melhor, vamos como Jack, o Estripador: por partes, rs!
    Val está no último ano da escola, tem poucos amigos e seu grupo vive isolado. Ela se veste de uma maneira mais gótica, o que faz com que algumas meninas a chamem de "irmã da morte". Porque ela se veste assim? No início foi pra chamar a atenção de Nick, e deu certo. Eles começaram um relacionamento no mínimo esquisito. Val era uma menina extremamente infeliz. Via seus pais brigarem o tempo todo e seu irmão mais novo era o único que realmente lhe dava um pouco de atenção. Além de sua amiga desde o jardim da infância Stacy e agora Nick. Ela costumava se dar bem com o namorado de Stacy - Duce, melhor amigo de Nick - e os outros poucos de seu grupo. Mas, tinham aquelas pessoas que batiam nos ombros deles na hora do intervalo, que proferiam apelidos idiotas e que faziam questão de ofendê-los.

    Valerie ama Nick com todo o seu coração, acha o máximo ele gostar de Shakespeare - Hamlet é o livro favorito dele - e nunca, nunca mesmo parou para se perguntar o motivo dele ser tão obcecado com a morte. Volta e meia eles trocavam e-mails sobre como ter a morte perfeita, mas Val nunca quis que ele, ela, que ninguém morresse. Como forma de um desabafo, antes de começar a namorar Nick, ela criou uma Lista com tudo o que ela odiava - dando uma ênfase maior para o título original, Hate List, ou  Lista do Ódio - onde ela colocava tudo o que a fazia mal, como lições de casa, brigas dos pais, líderes de torcida, etc. Nick sugeriu que eles colocassem os nomes de pessoas que fazia mal para eles também, e aí as coisas começaram a tomar forma na cabeça de Nick. Com o tempo ele arrumou um amigo com quem passava muito tempo, e um dia, quando estava no ônibus escolar, uma das meninas que sempre maltratava Val, quebrou seu MP3 e deixou a menina furiosa. Nick chegou direto da casa do amigo, e Val contou a ele o ocorrido, ele disse que a menina pagaria por isso. Valerie achou que Nick bateria na menina, mas, de repente, ele tirou uma arma de dentro da jaqueta e disparou contra ela. No estômago. Valerie após o torpor inicial, se abaixou ao lado da menina tentando estancar o sangue e chamou a polícia, enquanto Nick atirava mais e mais, e Valerie então notou que ele estava atirando nas pessoas da lista, todas por ordem. A princípio ela quis fugir, mas, ela precisava acabar com isso, e foi atrás de Nick. Uma breve discussão aconteceu, Val tropeçou em um cadáver e caiu por cima de Nick, tomando um tiro na coxa. O garoto desnorteado acabou se matando em seguida. Isso não é um spoiler, logo no início nós já somos expostos sobre isso, ok?


    Os meses que se seguiram foram horríveis, todos acharam que ela era uma suicida e a colocaram na ala psiquiátrica do hospital, após sua alta, ela faria sessões semanais com um terapeuta muito dez! Até que chega o dia de Valerie voltar para a escola, e lá, ela descobre que tudo está pior! Dessa vez, nem mesmo seus amigos queriam ficar perto dela, ela novamente sente-se isolada e decepcionada com as pessoas. Apenas uma menina fala com ela na escola inteira: a que ela impediu de morrer ao tomar o tiro! Detalhe: essa moça também praticava bullying contra Val. 

    Dessa amizade inesperada, Val, finalmente começa a se sentir um pouco melhor, mas, as coisas ficam cada vez mais desagradáveis: sua mãe pensa que ela está fazendo amizades novas para dar continuidade na lista e matar as pessoas, seu pai a odeia e diz que nunca vai perdoá-la, o irmão de uma das novas amigas dela a ameaça com uma arma, seu irmão se afasta dela... E num ato totalmente egoísta ela afasta a única pessoa que está disposta a ser amiga dela.
Ela encontra um carinho inesperado em Bea, que dá aulas de artes em uma escola perto do consultório do terapeuta, e Val passa a se expressar de uma forma diferente, e passa a ver a vida por uma nova perspectiva. Resolve por um ponto final em seu passado e recomeçar. Tudo ficará bem!

    Falando agora dos personagens: para mim, Bea é como um anjo, algo meio místico. A primeira vez que Val a vê, ela está balançando um pano cheio de purpurina, e Val fala que ela parece uma fada. Bea a incentiva a colocar mais roxo em sua vida. Desde que ela passa a ter aulas de artes, Val se abre mais para a vida, para as escolhas, para a sua mãe, se abre para tudo.

Capas lindas em diversos países. Amei a capa com o menino de capuz e a brasileira.

    O pai dela é o cara mais odioso do livro. Os pais deveriam proteger os filhos, e o pai dela a renega, chega ao ponto de falar que vai levá-la para a casa da mãe pra ela apenas pegar as coisas dela e sumir para que todos se esqueçam que ela faz parte daquela família. Tanto que até a namorada dele em algum momento fala para ele "agir como pai". Já no final do livro, ela fala que sabe que um dia eles se perdoarão, mas, eu imagino que se eles se perdoaram, nunca mais se viram, ficou cada um no seu canto. Já a Rebeca Fonseca, presidente do nosso clube disse que imagina que lá no final da vida dele, ele tenha pedido pra falar com a filha e tenha pedido perdão para ela. Não tinha pensado nisso, mas faz muito sentido. O irmão de Val estava se tornando tão odioso como o pai, e foi ótimo ele ter se afastado delas, deu uma liberdade maior para ela e a mãe. A mãe era no início uma figura incógnita para mim, mas, depois vimos que apesar de toda a desconfiança, ela amava a filha de paixão, e fez de tudo para que Val superasse tudo.    


A melhor pessoa do livro é com certeza o doutor Hieler, o terapeuta. Val consegue se abrir com ele e ele se torna um grande amigo dela, conhecendo ela melhor que ela mesma. E interessante é que ela pensava muito na família do doutor, ficava imaginando que enquanto eles estavam em sessão, ele deixou em casa sua esposa e filhos para estar lá cuidando dela. Mas, ainda assim, com ele, Val podia ser ela mesma com ele.   E com Bea. Ela e Bea se davam muito bem. Com o tempo, a mãe dela também começou a viver melhor. A partir do momento que Val se abriu para a vida, ela passou a confiar mais na vida e a mãe passou a confiar mais na filha.

     O livro tinha tudo pra ser perfeito se não fosse o final. Pra mim, o livro não tem final. Quem ler ou quem leu, vai saber do que estou falando. O livro não tem final, tive a nítida sensação que a autora se esqueceu de enviar o último parágrafo para a editora, haha. Ou talvez a intenção dela é que cada um pense em um final para o livro. O meu final é uma incógnita, pois eu não consegui pensar em um.
    Nesse mês de Setembro Amarelo eu tenho visto vários blogs se mobilizando trazendo informações, dados científicos e alguns até com experiências pessoais. É importante ter histórias assim que mobilizem e influenciem nas decisões de algumas pessoas com tendências suicidas. 

   Vou parando por aqui, chuchus, fica aí a dica dessa obra fantástica, A Lista Negra, deveria ser leitura obrigatória em sala de aula para alunos do Ensino Médio. 
Uma ótima noite, queridos, fiquem na paz e uma ótima semana!

Beijoooo! -.-




    

sábado, 24 de setembro de 2016

BEDS - Post nº 24 - Mais Fernando Pessoa

    Boa noite, pessoas!
Espero que esteja tudo mara com vocês!
Hoje estou meio correndo, então, vou passar apenas para deixar mais um pouquinho de Fernando Pessoa para vocês....

Nem tudo é dias de sol,
E a chuva,quando falta muito, pede-se
Por isso toma a infelicidade com a felicidade
Naturalmente, como quem não estranha
Que haja montanhas e planícies
E quando haja rochedos e erva...
O que é preciso é ser-se natural e calmo
Na felicidade ou infelicidade,
Sentir como quem olha,
Pensar como quem anda, 
E quando se vai morrer, lembrar-se de que
 o dia morre,
E que o poente é belo e é bela a noite
que fica...
Assim é e seja...

    Então é isso, amores. Amanhã tem resenha, viu?

Beijoooo" -.- 




sexta-feira, 23 de setembro de 2016

BEDS - Post nº 23 - Fernando Pessoa

    Olá, pessoas, tudo de boa?
Estive pensativa hoje sobre a família e me peguei lendo Fernando Pessoa. Ele tem muita coisa linda, né?
E quero compartilhar um textinho dele com vocês.
    Esse aqui, ó:

"Não se acostume com o que não o faz feliz, 
revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças,
mas, não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece npvamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o!"

    Só isso por hoje!
Boa noite, Sweeties!
Beijoooo! =)




Página Anterior Próxima Página Home
Layout criado por