domingo, 31 de janeiro de 2016

Resenha #22 - Magnus Chase e os Deuses de Asgard - Rick Riordan

    Hello, Sweeties....

    Tudo bem? Eu sei, eu sei, faz tempo! Sorry! Vou tentar melhorar, rs!

    Vim aqui hoje pra falar de uma nova saga que tá pintando por aí: "Magnus Chase e os Deuses de Asgard", do tio Rick. Aí você pensa: "Opa! Rick Riordan + deuses mitológicos + Chase... Tem algo de Percy Jackson aí!" Eu te digo: Quase! Afinal, sabemos que Chase é o sobrenome da namorada de Percy (Annabeth Chase), então, obviamente, temos algo em comum, certo? Errado! Quer dizer, quase, rs! 
    Quem não tá entendendo nada, levanta a mão!!! 0/ 0/ 0/ 0/ 0/...

    Bora pra resenha, então? Acho ficará mais fácil, hihihi...

    Primeiramente, essa saga será uma trilogia. O primeiro livro foi lançado em outubro de 2015, e como Riordan é um vacilão, as próximas edições serão em outubro de 2016 e 2017. Esse primeiro livro da saga é o "Magnus Chase e os Deuses de Asgard - A Espada do Verão".
    De acordo com o próprio Magnus, ele se parece com o Kurt Cobain. Cabelos compridos até os ombros, porém, mais desleixado. Magnus tem dezesseis anos, mora nas ruas há dois anos quando sua mãe foi assassinada por um lobo. Ele é primo de Annabeth, e descobre que sua família está tentando encontrá-lo. Annabeth e seu pai, mas principalmente um tio que maltratava muito ele quando criança, com quem sua mãe já não falava há anos. Ele morava com dois amigos nas ruas e um sempre estava ali para o outro. E aí, ele morreu!!! Calma, calma, isso não é um spoiler! No primeiro capítulo ele conta como morreu. Por ser um semideus nórdico, ele vai parar em Valhala, o mundo dos guerreiros, normalmente os filhos de Thor, Odin, Tyr e outros deuses guerreiros vão pra lá... Beowulf iria pra lá, com certeza, hahaha. Mas, mesmo assim, Magnus vai pra lá por sua bravura, mas, por ser filho de Frey, talvez o ideal seria ele ter ido para junto de sua tia Freya, lá em outro mundo que agora eu me esqueci qual é, rs! Ao parar em Valhala, logo na primeira semana, Magnus encontra um desafio: evitar que o lobo Fenrir se liberte de suas cordas mágicas, pois, se ele se soltar, o Ragnarök (juízo final) começa mais cedo. Loki tenta persuadir Magnus. Este, juntamente com sua valquíria Samirah al-Abbas e seus dois melhores amigos - um elfo aprendiz de magia (Hearth) e um anão negro (Blitz) - passam por muitas aventuras até conseguirem cumprir suas metas. Interessante é que Samirah é semideusa nórdica, filha de Loki , porém é muçulmana, usa hijab e tudo o mais. A cultura muçulmana - assim como a minha religião - cultua apenas um Deus, e ironicamente, a personagem trabalha para deuses. Hearthstrone é surdo e melhor amigo de Blitzen, que entende tudo sobre moda! 
    A história se passa em Boston dessa vez, e o protagonista aprende um pouco mais sobre o "centro dos mundos'':


    "Tem muitos caminhos para Boston. Boston é o centro de Midgard. Olhei para as pessoas ao redor da mesa. Ninguém estava gargalhando. - É sério?
- Claro - afirmou T.J. - Fica no tronco da Árvore do Mundo, o ponto mais fácil do qual se pode acessar os outros mundos. Porque você acha que Boston se chama Núcleo do Universo?
- Arrogância?"
    Boston é a cidade onde os vikings aportaram muito tempo atrás carregando uma famosa espada que possuía poderes mágicos, e que não poderia cair em mãos erradas de jeito maneira. Espada essa que pertencia ao deus Frey que perdeu em uma aposta. Cada coisa, não? 

    Interessante são as referências que Rick Riordan usa nesse livro para mostrar que Magnus Chase definitivamente não é Percy Jackson: 

  • Magnus não é um super guerreiro filho de um deus grande. Ele não é filho de Odin, de Thor ou Loki, ele é filho de Frey, um vanir, deus da natureza, ou seja, nada guerreiro;
  • Em Percy Jackson, vemos que o protagonista tem uma fixação com a cor azul, sua cor favorita. Seu néctar era azul, em seu aniversário sua mãe fazia bolo azul, doces azuis, azul é a cor favorita de Percy. Magnus tem a oportunidade de ver seu próprio velório e ao notar que está com um terno azul, se incomoda ao extremo, pois deixa bem claro que ODEIA azul!; 
  • Ao ter um contato maior com sua espada, ele descobre que ela pode se transformar em algo para ele carregar sempre por aí, então, ela se transforma em um pingente. Ele pergunta se ela não pode se transformar em uma caneta, e sente que a espada tira sarro dele pensando ser ridículo algo se tornar caneta - "A espada pulsou, quase como se tivesse rindo. Imaginei-a dizendo: "Uma caneta que vira espada. É a coisa mais idiota que já ouvi!'"     

    Além de outras referências que não vou me lembrar. Ele também faz referência com Doctor Who (tio Rick é Whovian uhuull!), onde ele fala que determinado prédio lembra um Dalek: "Tínhamos parado em uma das principais torres da ponte, um cone de granito projetando-se 15 metros acima de nós. Diziam que as torres pareciam saleiros gigantescos, mas sempre achei que me lembravam Daleks do Doctor Who".


Daleks lindos!

   Enfim, "Magnus Chase e os Deuses de Asgard - A Espada do Verão" é um livro muito legal, pra quem curte mitologia. Eu curto, então pra mim valeu! Comi o livro, claro, comprei assim que lançou - sem saber que era lançamento, rs - e não vejo a hora de ir para o próximo, que até então só tem o título: "Magnus Chase e os Deuses de Asgard - O Martelo de Thor". Falando em Thor, ele foi descrito bem parecido com o que ele é nos quadrinhos. Egocêntrico, esquecido e sem noção. Mas como leitora de quadrinhos, devo dizer que amo o Thor, rs!

Hearth, Blitz, Magnus e Sam. Super equipe!

Então, amadinhos, fica aí a dica de hoje, tentei dar o mínimo de spoilers possível, espero que curtam o post. Quem já leu, esteja a vontade pra comentar!
Beijocas, e goodbye, Sweeties!

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

TAG: Frases de Mãe



    Hey everybody...

    Fui desafiada por Sara Miranda do blog www.coisasaserem.blogspot.com.br a responder essa TAG de frases de mãe só que usando livros. Achei bem interessante, não sei ainda como terminará isso, mas espero que vocês gostem! 

    Let's? 

1. "Eu vou contar até três..." (Um livro que você não via a hora de terminar.)


Bem, vamos lá. Essa é bem fácil. Eu não via a hora de terminar "O Morro dos Ventos Uivantes" de Emily Brontë. Achei o livro um saco, fiquei com raiva da Catherine, achei ela uma vadia manipuladora, o Linton um zé ruela sem noção e o Heathcliff um calculista desequilibrado. Tá, confesso que gostei um pouquinho de Heathcliff todo sombrio e taciturno, mas achei o livro chato, chato, chato, chato... Ainda bem que peguei emprestado, odiaria tê-lo em casa!



2. "Se você falar isso de novo te arrebento os dentes!" (Um livro que você não suporta que falem mal)

Ninguém pode falar mal do meu maravilhoso "Orgulho e Preconceito" de Jane Austen. Acho o livro simplesmente espetacular! É Verdade, literatura inglesa arcaica muitas vezes é cansativa devido a dificuldade de compreensão da escrita, mas tem muitos outros livros xaropes por aí, esse não pode falar mal dele, não. Qualquer um eu abro discussão, coloco os pontos negativos e positivos em pauta, mas esse, não! Só pontos positivos, rs! Tem um post sobre esse livro aqui no blog, pra quem ainda não leu ou pra quem quiser, dá uma olhadinha aqui: 

3. "Se você correr, vai ser pior!" (Um livro que você corre dele, mas sabe que um dia vai ter que ler.)



Eu corro há tempos do livro "Grandes Sertão: Veredas" de João Guimarães Rosa, mas sei que um dia vou ter de encará-lo, principalmente por um pequeno detalhe: sou professora de português / literatura, e sei que vai chegar o momento em que alguma escola em que eu estiver trabalhando vai pedir como paradidático esse livro... Ai, ai...




4. "Vem comer, senão esfria!" (Um livro que você leu logo que lançou.)

Isso aconteceu com dois livros de Rick Riordan sendo que um deles eu não sabia que era lançamento. Um deles foi "O Sangue do Olimpo" (o último da saga Heróis do Olimpo). Eu estava esperando ansiosamente o lançamento aqui no Brasil há seis meses, assim que lançou eu comprei. E o último dele: "Magnus Chase e os Deuses de Asgard - A Espada do Verão". Comprei esse livro poucas semanas após o lançamento sem ter noção que era lançamento, rs.

    

5. "Você não é todo mundo!" (Um livro que todo mundo odeia, menos você.)


Mais fácil pensar em livros que todo mundo ama, menos eu. Diria O Pequeno Príncipe muito rápido, rs! Mas que ninguém gosta menos eu... Ah! "A Hospedeira" de Stephany Meyer. Não é que todo mundo odeia, mas muita gente odeia, rs! Eu mesma tinha muito preconceito com relação à esse livro, mas quando finalmente criei coragem pra comprar e ler, vi que é um livro muito legal, com uma história com todos os elementos necessários para ser um sucesso. Como a autora foi muito infeliz em Crepúsculo, todo mundo acaba tachando A Hospedeira automaticamente. Mas, me surpreendi. o filme é ruim mesmo, mas o livro é bom. Curti bastante! Tem post sobre esse livro também: http://mundoliterariodacecy.blogspot.com.br/search?q=hospedeira

6. "Quantas vezes eu já disse para não fazer isso?" (Um personagem que mais te irritou e fez burrada.)

Personagem chato, irritante? Mr. Collins de "Orgulho e Preconceito". Chato, arrogante, prepotente, esquisito... e acaba sendo até um pouco engraçado de tão chato que é, mas mesmo sendo um pouco engraçado, continuo não gostando dele. Chato!

7. "Não, quando digo não, é não!" (Um livro que você não lerá não importa o quanto as pessoas falem bem.)


Nunca lerei a trilogia "50 Tons de Cinza" de E. L. James. Não é o meu tipo de leitura, todo mundo curte e tals, eu respeito isso, mas... não, obrigada, dispenso mesmo!

8. "Não mente pra mim!" (Um personagem mentiroso ou um personagem que te enganou direitinho.)


Ah, essa é fácil, muito fácil, muito fácil mesmo de responder. Pra quem não leu a saga Harry Potter, pule o spoiler: Professor Snape não é o que parece ser! Me enganou direitinho o filho da mãe! Por seis livros e meio temos um conceito sobre Snape, o cara mal, calculista que quer acabar com Harry Potter e se vingar do bullying que sofria nas mãos do pai de Harry quando era aluno... Será? Professor Snape, você me enganou! Caí direitinho no conto do vigário e amei a reviravolta da personagem dele!

9. "Coração de mãe não se engana!" (Um livro que te conquistou pela capa e a leitura foi melhor ainda.)






Quem vai adivinhar o motivo pelo qual o livro "Mortalha da Lamentação" de Tommy Donbavand? Exatamente! Matt Smith! Eu queria muito este livro e ganhei de natal de uma amiga minha. Lindo final, hein? Ahahaha...




10. "Tá chorando sem motivo por que? Peraí que eu vou te dar um motivo pra chorar!" (Um personagem chorão que te fez raiva.)


No primeiro livro da saga "Divergente" (Veronica Roth), tem um personagem que vive chorando, o Al. Ele realmente irrita. Chora por estar com saudade da família. Chora por medo de não conseguir passar pelo processo de iniciação. Chora pelas escolhas que fez. E o pior, se une com pessoas erradas para fazer mal para uma pessoa errada e depois fica muito mal e chora, chora, chora, chora... até que por fim... SPOILER: se mata! Trágico, não?
Resenha: http://mundoliterariodacecy.blogspot.com.br/search?q=divergente

11. "Come só mais um pouquinho..." (Um livro que te fez dizer: vou ler só mais um pouquinho...)



A saga "Jogos Vorazes" de Suzanne Collins foi bem assim. Eu virava noites lendo pra ler só mais um capítulo. No outro dia ia trabalhar parecendo um zumbi, mas não suportava a ideia de parar na metade do caminho. Um livro tão bem escrito, um enredo atraente, uma história de família, algo tão fantástico que já me levou outras duas vezes para a arena. Provavelmente, em breve estarei participando da Colheita e sendo Tributo mais uma vez. Amo o Peeta, me casei com ele! (Mr. Darcy, você ainda é o homem da minha vida, não te preocupa, rs!)



12. "Quantas vezes vou ter que repetir?" (Um livro que você teve ou terá que reler para entender melhor.) 





Detesto, não entendo, nunca consegui passar da metade, acho sem noção e talvez - e apenas talvez -  um dia eu releia, ou melhor, eu termine de ler para entender. Muita gente o considera o livro favorito. Definitivamente, não é o meu caso!

13. "Não fez mais que sua obrigação!" (Um livro que você só leu por obrigação.)

Li "Iracema" de José de Alencar obrigada durante o Ensino Médio. Odiei! E me lembro que todo mundo odiou também!


14. "Coração de mãe sempre cabe mais um!" (Os três próximos livros que você está louco pra comprar.)

Sem dúvidas, esses três: "O Prisioneiro dos Daleks" de Trevor Baxendale, aventura com o 10º Doctor, "Cidade da Morte" de James Goss -  mais uma aventura com o 4º Doctor e "O Hobbit"de Tolkien. Quero muito ler esses três livros, e minha coleção de DW agradece, rs!


15. "Isso, quebra mesmo! Não foi você quem pagou!" (Um livro que você emprestou e voltou irreconhecível.)

Eu sou Narniana, todo mundo sabe disso. Li os sete livros em duas semanas no ano de 2008, e em 2011 eu comprei o volume único. Li em duas semanas novamente e meu irmão me pediu emprestado, Não gosto muito de emprestar meus livros, não. Na verdade, não gosto nada de emprestar meus livros. Mas, mesmo contra o meu bom-senso, emprestei o livro pro meu irmão que prometeu me devolver em duas semanas. Duas semanas depois, ele me devolveu o livro com a capa toda arrebentada! Quase chorei! Ele me disse que ainda não tinha terminado de ler, e eu lhe pedi que levasse o livro de volta e terminasse de ler. Aí eu comprei outro, rs! Também tem resenha da saga aqui, segue o link: http://mundoliterariodacecy.blogspot.com.br/search?q=narnia




    Então é isso, gentemmm, demorou muito mais do que eu imaginava, mas finalmente consegui. Espero que gostem, deixem aqui seus comentários, e desafio o Marcos Apolo - o rei das poesias, rs! -  do blog http://asinquietaspalavrasvoantes.blogspot.com.br/ para responder essa TAG. Fiquem a vontade para comentar, e agradeço a Sarinha Miranda por me marcar!

    Beijoooo.... ^.^

sábado, 2 de janeiro de 2016

Happy New Year!



     Hey everyone...

     Passei aqui hoje pra desejar um ótimo ano novo! 
     Normalmente nessa época, costumamos fazer aquelas promessas de ano novo: emagrecer, viajar mais, se preocupar menos, trabalhar pra viver ao invés de viver pra trabalhar, mas, nem sempre cumprimos a meta. Em 2015 eu coloquei como meta que eu me cuidaria mais, sabe. Trabalho como um camelo e não me cuido, então, decidi que todo mês iria na esteticista, manicure duas vezes por semana e salão ao menos uma vez por mês. Não por vaidade, mas por amor próprio mesmo, sabe? Na esteticista eu consegui cumprir, as unhas eu tentei cumprir, mas às vezes não tinha tempo, e salão acho que fui duas vezes no ano, rs!
    Em compensação, comparado ao péssimo ano que tive em 2014, onde cada mês algo ruim acontecia, meu 2015 foi um ano bom, não posso me queixar. Comecei o ano desesperada pois tinha perdido meu emprego, com um joelho pra fazer cirurgia que me causava dores excruciantes. Hoje tenho emprego, ainda não fiz a cirurgia, mas meu joelho está bem melhor. Não sinto mais aquelas dores horríveis! 

                                                                                                   

    Descobri que tenho amigos maravilhosos que me amam tanto que não me deixariam passar por situações se eles soubessem que me causaria sofrimento. Relembrei que o amor da minha mãe me mantém muito forte, que talvez se não fosse por sua sabedoria eu daria muito mais cabeçadas do que costumo dar. Aprendi que com o dentista certo, o seu pavor de infância passa, e que é até legal voltar no consultório dele só pra dar uma lembrancinha e desejar boas festas. Ainda por cima, minha família é louca, bagunceira e excepcional! Não me imagino vivendo com outras pessoas que não sejam esses alucinados que eu amo mais que tudo, rs! Acima de tudo, não me esqueci que existe um Criador, Real, que me ama, que é Maravilhoso e que mesmo quando eu vacilo, Ele está ali pra mim. E a graça dEle me basta!
     Para 2016 minhas metas são: continuar me cuidando, vou ter que emagrecer obrigatoriamente, pois esses dias na Dany (I love you pra chuchu!) despertaram um alien no meu estômago, rs, valorizar as pessoas que me amam, lembrar como meus amigos são importantes pra mim. Quero reencontrar pessoas que já fizeram parte da minha vida que em algum momento foi necessária a ausência e afastamento, mas que agora eu sinto necessidade de reencontrar. Sim, você mesmo! Vou encontrar, hein?


   Então, hoje povo fófis, não tem livros, é só mesmo pra dizer que desejo a todos um FELIZ ANO NOVO!!!



Página Anterior Próxima Página Home
Layout criado por