domingo, 30 de março de 2014

Nicholas Sparks


Hey people...
Estive pensando sobre Nicholas Sparks. Sem dúvida nenhuma um de meus autores favoritos. Ele tem uma sensibilidade tão grande para escrever que as histórias realmente parecem vivenciadas por pessoas próximas à ele, e não apenas ficção. Talvez alguns pontos realmente sejam reais. Gostei muito quando vi essa foto, até porque tenho quase todos os que estão aí: Tenho A Última Música, Diário de uma Paixão, A Escolha, Um Amor Pra Recordar, Querido John, A Primeira Vista, O Guardião, O Melhor de Mim, Um Homem de Sorte e Porto Seguro. Já li Noites de Tormenta dele também, mas não tenho. E aí: vc tem algum livro do Sparks? Quer contar o que acha dele? Use esse espaço, ele é todo seu!

quinta-feira, 27 de março de 2014

Resenha #1 - O Lado Bom Da Vida - Matthew Quick


   Sabe aquela expressão "não julgue o livro pelo filme", tá aí uma ótima pedida. Muita gente me fala que o filme é perfeito. Eu gostei do filme, gostei do livro, mas não achei tão perfeito assim nenhum dos dois. Ele traz uma linguagem fófis, Pat é adorável, Tiffanny é doida de pedra e a família de Pat age como um bando de loucos até que o segredo venha a tona... Não é um romance água com açúcar, mas é a história de alguém tentando manter a sanidade mental, rodeado por bons amigos. Eu gostei!


    Bom, vamo lá!


   Patrick - Pat - Peoples é um cara meio louco. Ele está em um lugar ruim, pois sua esposa Nikki o abandonou e ele teve uma crise de nervos. Quando sua mãe o retira do lugar ruim - uma casa de recuperação - Pat tenta viver sua vida tranquilamente. Ele se dedica a fazer exercícios - pois Nikki reclamava que ele estava fora de forma -, passou a ler livros complexos - pois os amigos de Nikki o consideravam um bufão literário, enquanto ela era uma renomada professora de literatura - e tudo o que ele fazia, era por Nikki. Só tinha uma coisa que ele odiava: Kenny G. Um tempo depois, Pat conhece Tiffanny, irmã da esposa de seu melhor amigo, uma linda e jovem viúva muito louca que passa a perseguir Pat de um jeito meio estranho. Pat faz tratamento com um psiquiatra indiano que tenta fazê-lo se lembrar de sua vida, que parece ser um borrão. Para Pat, pouco tempo se passou desde que teve problemas com a esposa, e ele tenta se manter são em todos os aspectos: faz as pazes com seu irmão, passa a assistir os jogos de futebol americano com seu pai e se torna um ótimo parceiro de dança e confidente de Tiffanny. Ainda tem pesadelos com Kenny G., tanto que em um desses pesadelos acaba saindo do controle e enforcando a mãe e seu pai precisa dar uns socos nele.
   Pat passa a ser um tipo de Pollyanna, tentando viver uma nova filosofia de gentileza para as pessoas ao seu redor, e tentando procurar o ponto positivo de todas as coisas. Seu analista passa a ser um grande amigo, um companheiro de arquibancada em jogos de futebol e confidente.



SPOILER DO BRABO!!!! LIVRO X FILME:

   No livro, Pat e Tiffanny ensaiam por dias uma dança para uma apresentação, e no dia da tal apresentação, Tiffanny usa um lindo vestido e eles dançam "Total Eclipse of the Heart" (amo!) de Bonnie Tyler. No filme, Tiffanny aparece de calça e eles dançam uma sequência com várias músicas.
   No livro, Pat descobre o real motivo de sua separação e do ódio de Kenny G.: um dia ele chegou em casa e ouviu a música que tocou em seu casamento - Songbird de Kenny G., mas Nikki não estava na sala, e sim no chuveiro com um colega de trabalho, e em um ato paranoico ele bateu tanto no cara que o mandou pro hospital. Nikki pediu o divórcio e fez uma petição judicial para ele não se aproximar sei-lá-quantos-metros dela, e no final do livro, Pat a vê de longe, casada com o tal cara. No filme, além dele contar  isso logo de cara para seu analista, e não lembrar do que aconteceu, Nikki está esperando por uma recuperação dele. Pra mim, deixou a desejar. Fora que ainda no filme há uma tentativa de reaproximação da parte dela e ele rejeita, mas no livro, isso nem é cogitado! Nikki odeia Pat! E ele leva muito tempo pra entender isso!
No livro seu nome é Patrick 'Pat' Peoples, no filme é Patrizzio 'Pat' Solitano Jr. Não sei o porquê de tantas mudanças assim. Okok, o roteiro do filme não foi a história do livro, é apenas baseada na história, mas ficou muito diferente. Gostei do filme, dei boas risadas, mas confesso que essa parte da Nikki, me surpreendeu e muito!

  Com frases fantásticas e uma narrativa leve, O Lado Bom da Vida não está entre os meus livros favoritos, mas com certeza, eu recomendo. Mas, não compare com o filme, é frustrante, rs!

O Lado Bom da Vida - Matthew Quick. Divertido, inteligente, sensível... Fófis! Mas não é pefeito, rs!



sábado, 22 de março de 2014

Oieeee

Oie gente...
Desculpa a demora, mas já estou de volta!
Quero indicar uma saga de livros que li em oito dias...

Bom, vamos lá: Jogos Vorazes todos já conhecem. Conta a história de Katniss Everdeen, uma adolescente de dezesseis anos que vê sua vida mudar completamente quando sua irmã Primrose é selecionada como tributo para participar dos Jogos. Para salvar a irmã, Katniss se oferece como voluntária para lutar até a morte com outras 23 pessoas. O tributo masculino do Distrito 12, o lar de Katniss é Peeta Mellark.
Eles passam então alguns dias treinando e se preparando para os Jogos, quando Peeta se declara apaixonado por Katniss, e ela busca nesse falso romance uma chance de ambos sobreviverem. Após muitas mortes, beijos, confusões e manipulação, os Jogos acabam e Katniss e Peeta são os vencedores.
No livro Em Chamas, Katniss está confusa, pois seu sempre melhor amigo Gale se declara para ela, mas ela não sabe o que sente por ele ou mesmo por Peeta. Uma mudança nos fatos coloca os Amantes Desafortunados novamente na arena dos jogos com outros vencedores de outras edições dos Jogos. Mas tudo muda quando Katniss se torna o Tordo, o símbolo da revolução.. De tirar o fôlego!
A Esperança mostra uma Katniss guerreira, um Gale vingativo e um Peeta totalmente monstruoso, porém essas três vidas estão entrelaçadas e dispostas a tudo por aquilo que acreditam. E no final surpreendente e perfeito, mostra Katniss num futuro onde ela é descrita nos livros de história como o símbolo da revolução.
Quero contar tudo, mas não posso... SPOILERS!
Fica a dica: trilogia Jogos Vorazes
#TDB = TUDO DE BOM!!!

domingo, 9 de março de 2014

Feliz dia internacional da mulher!

Hey people...
Sei que estou atrasadinha, mas preciso falar sobre isso. Ontem comemoramos o dia internacional da mulher, certo? Mas todo mundo sabe o contexto histórico disso? Então, lá vai:
No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos em Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.
A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.
Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Então, fica aqui minha homenagem para as grandes mulheres da minha vida. Mamy, minhas irmãs, minhas sobrinhas, minhas amigas Eliane, Maria, Quenia, Fabia, Adri, Lilian, Renata, Aninha, Pê, Si, Tell, minhas colegas de trabalho, minhas amigas da facul Leka, Fer, Fefa, Tânia, minhas professoras Ana Lenotti, Roseny, Célia Lara que tanto me ensinaram, enfim, para toas as grandes mulheres que conheço. E para minhas alunas terríveis, futuras grandes mulheres... Amo TODAS vcs!


Página Anterior Próxima Página Home
Layout criado por