quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

#GrupoDeApoioAosAutoresNacionais

     Oie gentemmm...

Passando hoje com a última dica de livro da autora homenageada no projeto esse mês. Galera, estou muito feliz com a chance que todos temos dado para nossos autores nacionais e como isso está crescendo. E não digo isso só pelo projeto em si de divulgação, mas, eu não tinha noção de quão vasto é o mercado nacional. Tirando os que sempre conhecemos, tenho aprendido muito com cada livro que tenho dado a chance, e desde o ano passado, o número de nacionais no meu Drive, Google PlayLivros, Kindle e até mesmo na minha estante aumentou consideravelmente. Aliás, na estante, não tanto assim, rs. Mas, me dei a chance de passar a ler eBooks também, e isso facilitou muito a minha vida.




   Chega de conversa, pois a sinopse é curtinha e nos deixa com vontade de quero mais. Vale lembrar, que as imagens aqui postadas não são minhas, mas, das organizadoras do projeto, Tali e Marcelle. Beijo no cês!




SINOPSE: Internada num retiro para estressados, Anita tem que lidar com a família, o começo da vida adulta e o amor por ser melhor amigo.

       Fala sério, autora, que sinopse miojo essa, hein? Ahahahah... 


Enfim, essa semana foi apenas para divulgação desse projeto que as meninas criaram e que eu estou amando participar. Obrigada Tali e Marcelle pelo convite que deu a oportunidade para todos os interessados e pelo carinho que vocês disponibilizam para conosco. 

Até semana que vem, people!

Beijooooo

(Ah! Clique na imagem para ir direto para o link da Amazon!)

#GrupoDeApoioAosAutoresNacionais


    Hello - ooouuuu!!!
Bão co ceis? Aqui tá bão tamém...

    Hoje estarei trazendo a sinopse de mais dois livros da Lu Days, a autora apresentada ao projeto desse mês, Lu Days. As sinopses tem me chamado muito a atenção, já quero ler todos. Bora conhecer, então?

   


     Como vocês já sabem, as imagens não são minhas, são da Tali do IG Pinguim Literário. Para quem tem Instagram, passem por lá e confiram! Então, bora conhecer mais dois livros da Lu?




SINOPSE: Paloma vende a Bermuda Emagrecedora Light Reduz num programa de fofoca (de quinta) na televisão. É certo que ela está um pouco acima do peso, mas não há razão para que seu namorado brigue por isso, não é? Sim, é. Depois de um tremendo barraco no cinema, Paloma termina seu namoro e conta com a mãe e as irmãs mais velhas para superar dois anos de um relacionamento tóxico. Quando ela se convence que está condenada a passar o resto da vida solteirona, como sua tia Cassiane, um outro homem entra em seu caminho para lembrá-la que o amor não tem peso.

    Estou DOIDA pra ler esse!!!

E o próximo da lista é Tola.



SINOPSE: O que acontece com um valentão depois que ele acaba o ensino médio? Infelizmente, a vida não tem sido muito divertida para Vincent Batista, um homem atormentado pelos seus erros da adolescência. Inspirado na música Foolish, da banda inglesa McFly, esse conto mistura passado, presente e futuro. 

    Ontem eu questionei se o nome não deveria ser "Tolo" já que é a treta de um cara, mas, a autora lindamente me respondeu que o nome é esse devido à música mesmo.

     Amanhã trarei mais uma sinopse. Para ir direto para os links na Amazon, é só clicar na imagem, okok?

Beijoooo

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

#GrupoDeApoioAosAutoresNacionais

  
   Hey pessoas!

Lá no Instagram está rolando um esquema super legal, e resolvi trazer pra cá também. A Tali do Pinguim Literário e a Marcelle do MNLucena e Sua Paixão Pelos Livros criaram um projeto mara onde durante a primeira semana de todo mês seja apresentado um autor nacional. E esse mês nós - afinal, eu também, rs - conhecemos a autora Lu Days que tem vários livros disponíveis na Amazon.



     Lu Days tem 22 anos e é formada em Letras (Letras!!! Respeita a mina!). Catarinense, é escritora e resenhista. No ano de 2015 lançou um livro físico intitulado "Vlogs e Garotas" e na Amazon estão "Coisas Que Nunca Acontecerão Comigo","Tola", "Qual é o Peso?" e "A Herdeira dos Wolff. Atualmente a escritora procura uma casa editorial para suas criações.




    E essa semana trarei aqui um pouquinho mais dos livros da autora aqui.

 A Herdeira dos Wolff

SINOPSE: Toda família tem segredos, mas os mistérios dos antepassados de Una Wolff superam o impossível. Vivendo quase em um universo a parte, ela viu a mãe e nem conheceu o pai. Sendo perseguido pelo exército e pelo governo, ela precisa da ajuda dos amigos para descobrir qual foi o crime que sua família cometeu contra o Estado.




   A Herdeira dos Wolff está disponível na Amazon bem baratinho e de grátis no Kindle Unlimited.
Amanhã trago mais novis, ok?

Beijoooo! ^.~


***Créditos das imagens para as meninas do projeto, pois eu sou zero criatividade, hahahahah...

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Resenha #72: Depois Que Você Se Foi - Tatiana Cavalcante

    Olá pessoas!
Espero que esteja tudo mara com vocês. Estou aqui hoje para trazer uma resenha de um livro que eu levei MESES para terminar e depois levei mais um tempão para resenhar, mas, finalmente saiu, heheh!

    Então, sem mais delongas, bora lá?

Imagem MLC

SINOPSE: Anastásia nunca soube realmente quem era ou que caminho queria seguir na vida até que, por imposição dos pais, ela viaja em intercâmbio para a Nova Zelândia. Já adulta, ela volta para o Brasil mudada e, sem saber como preservar o pouco que já descobriu sobre si mesma, foge da vida que não a aceita como ela é. A partir daí ela vive uma bonita história de amor e fortalecimento da sua autoestima num país que não é onde ela nasceu, mas que ela aprendeu a amar.
     Seu marido se chama Kim. Ele é o amor da vida dela e ela, o dele. Fizeram faculdade juntos, trabalham no restaurante do pai do Kim. Anastásia ama o que faz. O Kim ama adrenalina.
    Uma tragédia tira a vida de Kim quando eles estão próximos de completar cinco anos juntos e a coloca novamente de frente para seu passado. Ela cria esperanças de que o relacionamento com seus pais pode melhorar, mas, decepções acontecem e será preciso encarar suas mágoas para entende-las, podendo em seguida superá-las. Sem o Kim, ela precisa encontrar forças para não se perder em meio à dor da perda e a culpa por continuar viva e ele não. O caminho que ela percorre é intensamente reflexivo e bastante envolvente, onde descobertas e surpresas a levarão a entender melhor a si mesma e ao outro, assim como valorizar as boas lembranças da pessoa que ela amou, construindo um futuro tão bom quanto pode desejar e se permitindo amar de novo.
    Porque não eu no lugar do Kim? Será que meus pais mudaram comigo? Conseguirei me sustentar em São Paulo? Serei capaz de amar e ser amada de novo? O que realmente importa na vida? Essas são algumas das várias perguntas que Anastásia quer vivenciar para responder e ela sai da Nova Zelândia de volta ao Brasil e nesse meio tempo também dá um pulo na França, onde ela se surpreende com o poder de alguns sentimentos que considerava adormecidos. O tempo a ajudará a descobrir que para dar mais leveza ao peso de sua história, ouvir as necessidades do seu coração é o primeiro passo a ser dado.
  
     Então... Levei meses lendo esse livro, porque eu achei ele um pouco maçante e repetitivo, mesmo achando a trama boa.

    Anastásia (lê-se Anastázia) é uma garota de 17 anos que é incompreendida pelos pais, moradores da classe média alta da cidade de Ipatinga em Minas Gerais. Em uma de suas muitas discussões com seus pais, eles decidem que está na hora de a moça tomar juízo, e a enviam para um intercâmbio na Nova Zelândia. Apesar de relutante, é tudo o que a moça precisa. Lá, ela encontra Kim, o cara perfeito que gosta dela como ela é e que tem pais maravilhosos que a fazem se sentir amada pela primeira vez. Após um ano no exterior, ela volta pra casa, mas, seus pais permanecem intolerantes com ela, exigindo que ela faça a faculdade que eles querem onde eles querem, e então, no dia do vestibular, ela parte para o aeroporto e volta para o exterior, sendo recebida pela família de Kim novamente. Anos passam, e Anastásia é muito feliz com seu marido, porém, um dia ao sair com amigos para escalar alguns alpes, o grupo de Kim sofre um acidente, e, após dias de procura, as buscas são interrompidas, e Kim, desaparecido é finalmente dado como morto, mesmo sem nunca terem encontrado um corpo.     

   Após muito pensar, a moça resolve voltar para casa, mas, não quer ficar dependente dos pais, então, consegue um emprego em São Paulo. Antes de se mudar, ela e a melhor amiga Marina viajam para a França, e lá ela conhece Ed, um brasileiro que está estudando gastronomia e se preparando para assumir os negócios de família. Apesar de ser recente a morte de Kim, Ana – como ela se apresenta ao Estranho, e sim, Estranho com letra maiúscula por ser assim que ela se referia à ele – se permite viver aquele dia intensamente.

Imagem MLC
“Um dia prometi a mim mesma que não deixaria mais que as mágoas continuassem tomando conta do meu coração. Em meio a tudo que você espera do outro, muito pouca coisa o outro pode te dar e isso não é nenhum pecado. Todos temos defeitos, mas, só mudamos se nós mesmos nos propusermos a isso”

     Chegando em São Paulo, Anastásia vai trabalhar no restaurante do senhor Vicenzo, um senhor italiano que tem um restaurante três estrelas na zona nobre de São Paulo e que se orgulha muito de conseguir manter tudo em família. Logo, a moça está adaptada e familiarizada com tudo, superando sua dor e aprendendo a ser amada por pessoas maravilhosas. Parando por aqui.
      
     Após a chegada dela em Sampa, algumas coisas se tornam extremamente clichês, mas, ainda assim é da hora. O que me irritou foi o fato de Anastásia ser muito estranha, ficar repetindo as coisas e por páginas e páginas vemos ela voltar no tempo e ficar remoendo como a vida com Kim era maravilhosa e com seus pais, não.

“Fico imaginando minha dor como um tipo de bote inflável no rio da vida. Ao lado desse bote inflável, navega um barco que se chama autoestima. Esse barco está muito bem cuidado e não pretendo naufragá-lo. O Kim me ajudou a construí-lo tal como é hoje. Sinto muito orgulho disso. Portanto, preciso continuar a cuidar do barco da minha autoestima, mesmo sem a ajuda do Kim e também sem me esquecer de vigiar o bote da dor que não pode afundar, me levando junto. Um dia, quem sabe, eu consiga esvaziar o bote da dor e guarda-lo para sempre dentro do navio que leva meu nome e que guarda toda a minha história”

     Depois da metade do livro, o tom do livro ficou mais sério, porque deixamos de ver a Ana lamentadora para ver a Ana guerreira, que resolve tomar as rédeas da própria vida e, finalmente, tentar se encontrar, dar um jeito em sua reação com seus pais e viver a sua vida. E, quando ela resolve fazer isso, a leitura flui rápido e a gente se pega torcendo para dar tudo certo. O romance é clichê, para mim não foi mistério nenhum, e, não acredito que alguma pessoa que leu esse livro tenha tido dúvidas sobre esse tópico. É um livro gostosinho de ler, mas, acho que poderia ter sido enxugado em algumas partes, a autora quis explicar demais os sentimentos da protagonista, e, isso causou em mim um certo asco da mina, rs. Tá, eu sei que ela estava sofrendo, mas, achei desnecessárias diversas partes dela colocando tudo nos mínimos detalhes o que ela sentiu, o que ela passou, o que ela perdeu... porém, várias citações do livro são lições para a vida, encontrei diversas ótimas!

“Somos todos seres humanos que buscam um equilíbrio dos nossos sentimentos, afinal! O que nos distingue uns dos outros é a forma com que cada um de nós interpretamos os sentimentos que determinam nossas vidas e nossa personalidade e como, a partir dessas interpretações agimos e nos relacionamos.”

       Agora, falando como professora... não me esqueço que durante meu TCC, o que mais me era cobrado era que eu precisava diminuir os parágrafos, pois, eram grandes demais e de acordo com meu orientador lindo, era horrível de se ler enorme e exaustivo. No caso aqui, encontramos diálogos com trechos imensos, e isso me incomodou um pouco, e foi um dos motivos que me levaram a achar chata a leitura em algumas partes. E o final, poderia ter encerrado três linhas antes de onde encerrou, achei que as outras informações nas linhas abaixo desta foram desnecessárias. Não me entenda mal, acabou legalzinho. Se tivesse terminado três linhas antes, teria sido um final muito da hora, pois, o leitor poderia ficar pensando no que aconteceu.

    Enfim, o conselho que eu dou? Leiam, assim, cada um pode tirar suas próprias conclusões. Uma nota de 0-5? Dou 3.

Depois Que Você Se Foi – Tatiana Cavalcante, 295 páginas.  Disponível na Amazon. Legalzinho.

     Então era isso, pessoas. Semana que vem volto com mais coisas novas e com a retrospectiva do mês, ok?


Beijooooo

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

TOP Piriguitagem Literária 2017

     Bom dia, boa tarde, boa noite!

Passando hoje para fazer a segunda edição do TOP Piriguetagem Literária, uhuuuullll!!!! Vamos falar sobre os queridinhos da titia Cê aqui do ano de 2017. Ano passado o que me conquistou mesmo foi a inteligência dos carinhas, vamos ver se eu continuo assim ou se eu mudei alguma coisa. Para conferir a edição do ano passado, clique AQUI.

Imagem da internet
    Bora lá?

10. Liam - Quando Tudo Faz Sentido - Amy Zhang

Liam é aquele cara reservado que observa e extrai apenas o que é bom, o que não vale a pena, ele simplesmente não absorve. E isso faz com que ele se torne um cara dez! Resenha.

9. Caio - Olhos da Deusa - Lígia Dantas

Em meio ao caos que está a vida de Rebeca, ela arruma tempo pra um namorado, mas, quem está ao lado dela sempre, é seu irmão, Caio. Inteligente, músico, confuso e muito fofo. Eu sei que ele é adolescente, mas, já tem mais de 16, o que não torna crime se ele estiver de acordo, hahaha. Credo, que cometário horrível! Confira a resenha e uma entrevista com a autora.

8. Simon Carmichael - Trilogia Sereia - Tricia Rayburn

Eu sei que ano passado o Simon esteve presente no TOP de 2016, mas, terminei de ler a série ano passado, e ele é lindo, fofo, inteligente e eu sou apaixonada por ele! Confira as resenhas de  SereiaEncanto e Profundezas.

7. David - Saga Feios - Scott Westerfeld

 Feios foi diferente de tudo o que eu já li. Ri e chorei, fiquei feliz e com raiva, amei e odiei. Mas, teve um que eu amei desde o começo: David. Ele era um feio, com uma cicatriz na testa, o nariz torto e um cara muito decente, inteligente, estrategista, observador e abnegado. O único que em momento algum eu tive vontade de degolar, rs. Confira as resenhas de FeiosPerfeitos e Especiais.

6. Gustavo - Duologia Tinderela - RM Cordeiro

Sabe aquele romance gostoso, que começa na base da observação? É o que encontramos aqui. Gustavo é um cara simples, observador, trabalhador e apaixonante. Confiram aqui as resenhas de   Tinderela  e Tinderela Nunca Mais.

5. Ed - Sob o Olhar Grego - Bella Crestan

Então... Como não amar o Ed? Lindo, fofo, ruivo, bem longe dos padrões de beleza impostos pela sociedade, um músico talentoso e um cara super alto astral e bastante observador. Se não leu ainda, corre atrás da Bella Crestan que ela estará feliz em atender. Confiram aqui a resenha e uma entrevista bem divertida com a autora.

4. Bernardo - Teia dos Sonhos - Karine Aragão

Bernardo tem o mesmo problema do Caio: adolescente, mas, um adolescente que precisou crescer rápido demais devido a uma tragédia que aconteceu com sua família. E por isso, ele se tornou um cara bem atento a tudo e todos ao redor, e não deu a chance de Júlia escapar. Me imaginei com ele no stand-up cantando Onze:20 pra mim. Karine, sua lindaaa, criou um personagem que deixa o nosso fofurômetro nas alturas!!! Resenha em breve!

3. Max - Sobreviventes do Caos - Bianca Gulim

Não tenho muito o que falar do Max, afinal, ele está nos Top 3, né? Nunca falei isso, mas, sabe como sempre imaginei o Max? Como o J da banda Five, quem lembra? O J era meu boy favorito do Five, ainda hoje enquanto estava fazendo essa lista estava ouvindo Five, e de repente me veio Max na cabeça... Fora que além de lindo, o cara é guerreiro, justo, forte, corajoso e abnegado. Quer mais? Acompanhe a resenha de Sobreviventes do Caos e uma big entrevista com a autora divididas em três partes: parte I, parte II, parte III.
2. Noah Collins - Depois do Fim - Tay Lopes

E aí você pega o livro Depois do Fim e se depara com Noah Collins, um cara lindo de olhos azuis, com mãos protetoras, que analisa comportamentos para saber onde pisar. Extremamente fofo, inteligente e músico. Esse ano pelo visto, a regra era ser observador e músico, rs. Confira a resenha desse livro incrível.

1. DAY - Trilogia Legend

Claro que seria ele, né gente! A Lenda da República, o criminoso mais procurado do país e o cara mais abnegado da face da Terra: Daniel Wang. Day tem uma das características que mais gosto: cabelos rebeldes, rs. Day é fofo, corajoso, amoroso, abnegado, inteligente, estrategista, observador e (SPOILER) está morrendo. Sim, ele está morrendo. Para conferir as resenhas dos três livros, clique nos títulos:  LegendProdigy e Champion.

BÔNUS:

The Doctor - Mortalha da Lamentação

Claro que ele estaria aqui, né, gentemmm... Em Mortalha da Lamentação, o Doctor está com um abacaxi imenso para resolver no universo com Clara a tiracolo. Super vale a pena, e o Doctor nessa aventura é aquele cara super abnegado. Abnegação é a palavra certa para falar sobre essa obra. Amei muito! Confira a resenha no link.

Imagem MLC

    Então era isso pessoas! Me contem quais foram as piriguetagem de vocês esse ano!

Beijoooo


terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Dia Nacional Das Histórias em Quadrinhos

     Olá, pessoas, tudo bem?

Hoje é um dia muito importante para a comunidade quadrinística, pois é o Dia Nacional das HQ's.

Imagem da internet
   Esta data tem como objetivo homenagear este gênero literário que é um grande responsável em apresentar e incentivar muitas crianças - e adultos também - ao mundo da literatura.

     No Brasil as HQ"s surgiram na metade do século XIX, porém ficou popular com o lançamento de alguns clássicos como A Turma da Mônica, O Menino Maluquinho, A Turma do Pererê e Tico e Teco - sendo esta considerada a primeira revista em quadrinho lançada no Brasil no dia 11 de outubro de 1905. 

Imagem da internet

    Já a escolha para essa datá é que em 30 de janeiro de 1869, foi publicada a primeira HQ brasileira, intitulada de As Aventuras de Nhô-Quim ou Impressões de uma Viagem a Corte, de Angelo Agostini.

    Em 1984 (nasci!, rs), ficou certo então pela Associação dos Quadrinistas e Cartunistas do Estado de São Paulo (AQC-ESP), que todo o dia 30 de janeiro seria comemorado o dia nacional do quadrinho em homenagem ao trabalho de Angelo Agostini, e anualmente, como parte das celebrações desta data, a Associação organiza o Prêmio Angelo Agostini, que tem o propósito de prestigiar os talentosos profissionais brasileiros atuantes na produção da 7ª arte. (Fonte: https://www.calendarr.com/brasil/dia-nacional-das-historias-em-quadrinhos/)

Imagem da internet
     Então pessoas, achei super legal isso e quis trazer a matéria sobre o Dia Nacional da HQ, não sabia disso. Então, quero parabenizar aos produtores de quadrinhos um feliz dia, e convido todos vocês para visitarem o blog do meu amigo querido Victor Hugo Carballo, Brigada Ônix. O Victor é quadrinista e sempre traz coisas legais com a Brigada Ônix - a épica jornada de três galantes herís em uma aventura mítica de proporções cósmicas -, eu acompanho as aventuras dessa Brigada há um tempo, e adoro. No momento o blog está de férias, mas, em breve teremos mais novidades por lá.

     Beijooooo


Imagem da internet





quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Resenha #71: Champion - Marie Lu

    Olá pessoas, tudo bem?
Acho que falei ontem que hoje seria dia de TAG, mas, me atrapalhei aqui, e como já estava com essa resenha pronta, resolvi trazer.
Para quem não leu Legend e Prodigy, sugiro que leia, pois, podem haver spoilers dos outros livros. Se já leu os outros e, não leu esse, prometo tentar ao máximo não falar nada grave. Se não conferiu as outras duas resenhas, clique AQUI para o primeiro e AQUI para o segundo livro.

      Bora lá?

Imagem MLC
 SINOPSE: No emocionante desfecho da trilogia Legend, June ocupa uma posição privilegiada no governo e Day trocou a alcunha de criminoso mais procurado do país peça de herói nacional. Mas quando tudo parece conspirar a favor da paz, a ameça da guerra ressurge na forma de um vírus mortal que começa a espalhar o pânico  entre as colônias. Em Champion, a vida de milhares de pessoas está novamente nas mãos de June, a menina-prodígio da República. Mas salvá-las significa também enfrentar novos desafios e exigir novos sacrifícios de seu amor. 


       Day e June conseguiram fazer com que a República apoiasse o novo Primeiro Eleitor, Anden, por que eles descobriram que o cara era realmente gente boa e estava disposto a fazer diferente de seu odioso pai. Tudo estava correndo bem, menos os corações dos protagonistas, pois, a separação doía. Fazia meses desde que Day tinha terminado tudo com June, e ambos sentiam falta um do outro o tempo todo. Mas, ao invés de a paz imperar por mais tempo, as Colônias ameaçaram a República, pois, eles haviam descoberto que um vírus de uma nova praga estava tocando o terror nas Colônias, e ameaçaram uma guerra contra a República caso Anden não desse um antidoto. Até aí, tudo bem. O problema? Os testes precisariam ser realizados com o sangue de Eden, e o Primeiro Eleitor pede a June que telefone para Day, para que ela o convença a deixar que seu irmãozinho – e única família – seja novamente cobaia para realizar os testes. June agora está em um alto cargo do governo, e nem imagina que o motivo real para Day ter terminado com ela seja o fato de ele estar morrendo.

     E infelizmente, vemos o quadro da Lenda da República piorar com o passar das páginas, e agora, com a ameaça de uma guerra, Day novamente precisa tomar as rédeas do país, pois, as pessoas confiam mais nele do que no governante.  Durante o reencontro dos dois, é possível sentir as faíscas pularem das páginas e passar para o leitor, e June, que descreve Day sempre com tanto amor, nos faz permanecer apaixonadas por Day, pelo casal em si.

     Day agora está em uma sinuca de bico, pois, ao mesmo tempo que tem de lidar com a saúde do irmão, com a própria saúde mais frágil ainda e com o amor que sente por June, precisa ainda passar por cima de tudo o que ele quer proteger para um bem maior. Mas, será que ele está disposto mais uma vez a sacrificar tudo? Simultaneamente, June finalmente descobre o que aconteceu na noite da morte de seu irmão Metias – motivo que a fez ir atrás de Day, pois, foi convencida de que o menino tinha matado Metias – e confesso que nunca na minha vida, teria imaginado algo tão forte, tão incrível e tão cruel como a autora destruidora de corações criou.

     Gente, eu amo distopias, todo mundo sabe disso, mas, essa eu confesso que realmente me cativou. Day e June são adoráveis, e Anden é um Zezão irritante, mas, dá para ver as motivações, suas mudanças e conceitos, e dá para entender suas atitudes. Só não entendo o amor dele por June que vem se arrastando desde o segundo livro e eu nunca entendi onde aquilo começou. Eden, o irmão caçula de Day é só um menininho, mas, tem uma maturidade tão grande durante todo o livro que dá até gosto de ver, e podemos sentir como os irmãos sentem orgulho um do outro e como se amam incondicionalmente. June continua aquela fofa, confusa muitas vezes, sempre dividida entre o que se deve fazer e o que é o certo, e sempre nos surpreendendo com suas decisões.

Imagem MLC
      Não vou falar muito, porque sem querer já dei spoilers ali em cima – spoilers dos livros anteriores, que fique bem claro, rs. Agora, preciso falar uma coisa, gente: o final desse livro me arrasou! Chorei? Óbvio! Nunca na minha vida, imaginaria um final como aquele. Claro que em distopias, em trilogias, em sagas e séries, sempre há uma guerra, e muita gente boa morre em guerras. Não é diferente neste livro, mas, o preço é alto demais, e não sei se eu seria altruísta o suficiente para tomar uma decisão que uma determinada pessoa tomou. Decisão essa que mudou a vida de todos.

     O livro termina com um salto de dez anos no tempo, e os protagonistas já estão com suas vidas feitas. June se lamenta, pois, seu irmão Metias faleceu com a mesma idade que ela tem agora, e dói em seu coração o fato de que a partir de agora, ela será mais velha, enquanto ele sempre terá 27 anos. E dá pra chorar mais um pouquinho, eu chorei bastante no último capítulo, e mais um pouco no epílogo. Tem um e-Book ainda que conta sobre a rotina dos protagonistas antes do primeiro livro, mas, ainda não consegui ler.

     Só sei que essa trilogia conquistou meu coração, e vai para as queridinhas. Minha saga favorita sempre será As Crônicas de Nárnia e minha distopia favorita sempre será Jogos Vorazes, mas, essa aqui está com um espaço quase tão grande quanto Divergente em meu coração, rs.

      Então era isso, pessoas! Beijoooooo....
           
            Champion – Do Caos e da Lenda Surgirá um Campeão – Marie Lu. Editora Rocco, 322 páginas.  Quem quiser me dar, estou aceitando de presente, pois li em e-Book. Simplesmente, amei! Super recomendo!

Beijooooo
Próxima Página Home
Layout criado por